10 de março de 2011

Falar Televisão


A essência do talk-show português

A quatro dias da estreia do novo talk-show matinal da SIC, Querida Júlia, há que pensar neste tipo de programa que todas as estações televisivas contêm na sua programação.


O talk-show, nomeadamente em directo, tem por objectivo chegar mais perto do público, entrando pela casa de milhares de portugueses. É um facto, que este tipo de programa entretém os telespectadores e, é também de salientar a evolução que tem tido o talk-show português. Enquanto que antigamente este tipo de programa tinha uma vertente mais cómica, mais humorística e seguramente menos informativa, hoje, o talk-show exige uma visão alargada da sociedade, existindo espaço para informar, educar, reflectir, divertir e claro, entreter.

No entanto, há ainda quem questione a qualidade destes programas que preenchem as grelhas de programação. É necessário frisar que muitos são factores para o sucesso de um talk-show. Primeiramente, é importante analisar o público para o qual se dirige. Seguidamente, não esquecer quem conduz o programa, isto é, uma cara conhecida/reconhecida pelo público, mais facilmente criará o laço de proximidade que se pretende com este tipo de produto televisivo. E, talvez o mais importante de tudo, de salientar o conteúdo do programa. É necessário haver espaço para rir, para reflectir, para aprender, para descontrair, para informar, no fundo, é necessário que exista uma globalidade de assuntos num talk-show.

Este é talvez o maior problema dos nossos "programas de conversa", há falta de conteúdo efectivamente "interessante", ou talvez, hajam demasiados assuntos "desinteressantes" num mesmo programa. É necessário existir uma transição de conteúdos contínua desde o início até ao fim do programa.

Prova disso, é o já negativamente famoso Companhia das Manhãs, com determinados especiais dedicados a dias temáticos. O programa matinal da SIC (que deixa de existir já na próxima segunda-feira), obtém resultados miseráveis consequentes de uma má escolha de apresentadores, isto é, apresentadores que o público não reconhece ou que não elege como "caras da televisão", conteúdos "desinteressantes" e mesmo aborrecidos para um público que facilmente se desinteressa.

É por isso que se aguarda, com grande ansiedade, o formato comandado por Júlia Pinheiro, uma profissional que tem o dom da comunicação e cujo todo o trabalho de preparação de conteúdos tem efeitos bastante positivos num público ao qual agrada bastante a diversidade e capacidade de comunicação da apresentadora.

Aguardamos a estreia de Querida Júlia, que promete bom e inovador conteúdo, tal é a sua insistente divulgação!

7 comentários:

Anônimo disse...

"...obtém resultados miseráveis consequentes de uma má escolha de apresentadores, isto é, apresentadores que o público não reconhece ou que não elege como "caras da televisão"...

Está tudo dito, alias a Rita F. Rodrigues já está escalada...para ficar na prateleira...

Alguem já sentiu a falta dela?
Pois, eu tambem não.

Anônimo disse...

como não se sentirá a falta do nuno graciano da merche romero da da conceiçaõ lino ou da maya porque ninguém sente falta de quem nada vale...

Maria A. disse...

Tal como sentem ( ou sentiriam),a falts da Fátima Lopes!
Os seus já miseráveis 18% de share, em 3º lugar no horário...são uma prova disso!

Quem sente a falta dela?

Maria A. disse...

Corrijo o erro de computador: «falta».

A «Tarde é Sua» obtém também resultados miseráveis, não é Anónimo?.

TVI Blog disse...

Tal como sentem ( ou sentiriam),a falta da Conceição Lino!
Os seus já miseráveis (desculpem é que nem o share do programa sei, porque este não aparece no TOP10 de Carnaxide) de share, em 3º lugar no horário...são uma prova disso!

Quem sente a falta dela?


O «Boa Tarde» obtém também resultados miseráveis, não é Maria A?.

Quando não se tem moral para falar ...

Maria A. disse...

Pois é, TVIBlog! Tal com a Fátima Lopes e a Leonor Poeira, com as suas audiências miseráveis!

Essa do «moral» é para mim?
É verdade, resulta da divisão que o TVIBlog faz do mundo, em 2 categorias, tal como eu já referi.

Só tem moral...quem vê a TVI com óculos cor-de- rosa!
Não entendo como...mas enfim!

Vítor Carvalho disse...

Continuo a respeitar a opinião de todos, mas julgo que as pseudo-discussões que a Maria e o TVIBlog desenvolvem através dos blogues são ridículas!

Por favor, respeitam as vossas diferenças e aprendam um com o outro!

Não me levem a mal, até porque não é prática recorrente observar os comentários dos outros, mas é que é impossível ter uma opinião sadia quando se lê deste tipo de guerras parvas e imaturas.

Já agora Maria.. Mais uma correcção, a apresentadora da TVI é Leonor Poeiras e não Poeira, como já li por diversas vezes!

Continuem a ver televisão e sobretudo a apreciá-la!

Não discutam a qualidade de um canal, mas sim dos produtos!

Muito Obrigado