11 de fevereiro de 2011

Fecho


Boa noite. O Fecho de hoje incluí uma crónica da autoria de Nuno Azinheira, retirada do Diário de Notícias.


A entrevista de Costinha

A entrevista que Costinha deu segunda-feira à Sport TV parece saída de um sketch dos Gato Fedorento. Numa penada, o director desportivo do Sporting zurziu em tudo e todos - no clube ("O Trezeguet preferiu o Hercules ao Sporting" e "o Sporting parece mais uma rampa de trampolim do que um clube grande"), no director-geral José Couceiro ("é uma excelente pessoa, mas veio resolver aquilo que eu também resolvi, ou seja, nada"), nos dirigentes ("a saída de Liedson é ruinosa para o clube") e no treinador ("Paulo Sérgio tem qualidades mas não é o melhor treinador do mundo"). O mais espantoso é que, 24 horas depois da entrevista, Costinha, independentemente das razões para o que disse, ainda continue em funções no clube. Ele bem jura que vai "no barco até ao fim". Resta saber que fim e a que porto chegará o barco.


Polémicas desportivas à parte, olhemos a relação entre a mensagem e o meio. Nas últimas horas já ouvi meio mundo dizer de Costinha o que Maomé não disse do toucinho. Costinha é tudo menos tonto, sabe perfeitamente o que disse, e tem perfeita consciência, porque anda nisto há muitos anos, do impacto das suas palavras. Ainda para mais porque se formou desportivamente numa casa, o FC Porto, onde a gestão das palavras é, como se sabe, controlada de forma particular.


Costinha pensou em tudo, até no canal em que decidiu dar a entrevista. Poder-se-á pensar que provavelmente, disse ali porque foi a Sport TV que o convidou para uma entrevista. Não sejamos ingénuos. Um director desportivo de um grande clube sabe com quem falar se quiser dar uma entrevista polémica à RTP, à SIC ou à TVI. Fazê-lo na Sport TV tem uma leitura: Costinha quis falar internamente para o mundo do futebol. O "crime" foi premeditado.


2 comentários:

Portugal e Brasil no seu melhor disse...

Ola vim agradecer por seguir meu Blog e pagar a visitinha, ahh passei a seguir o vosso também, um abraço. Jairo

Anônimo disse...

Apesar de não ser o sportinguista o costinha foi despedido injustamente no sporting. Hoje em dia é assim: Quem diz a verdade é despedido ou castigado..