24 de abril de 2011

O Protagonista



Boa noite. Neste domingo de Páscoa destacamos uma apresentadora, um programa, treze talentos, uma produção, um canal. "Portugal Tem Talento" despede-se daqui a cerca de quatro horas, e termina também nesse instante um projecto que devolveu a Bárbara Guimarães o brilho de outrora.
Seja bem-vindo ao "Protagonista" desta semana!



Foi no dia 30 de Janeiro que a mulher de Manuel Maria Carrilho estreou a tão aguardada versão portuguesa de um dos talent-shows de maior renome em todo o mundo. Já adaptado pela RTP1, "Got Talent" prendeu os telespectadores aos ecrãs na sua primeira emissão na SIC. Prova disso, foram os 16,1% de audiência média e os 38,4% de share que o programa alcançou.

Na altura, muitos foram os sorrisos despoletados  por estes valores, contudo nas emissões seguintes a queda de "Portugal Tem Talento" na tabela dos programas mais vistos de domingo foi notória. Culpa dos jogos de futebol, culpa de "Uma Canção Para Ti", culpa de Marcelo Rebelo de Sousa, culpa de vários factores. 
Apesar deles, a meu ver não concordo com quem refere que Bárbara Guimarães não prendeu a atenção dos telespectadores aos ecrãs da SIC e que o júri do programa poderia ter sido outro. Conceição Lino emocionou os portugueses a avaliar os concorrentes de "Portugal Tem Talento" e, mais importante, deu outro passo no entretenimento; José Diogo Quintela procurou engraçar com os fãs tal como várias vezes fez em "Zé Carlos" ou "Diz Que É Uma Espécie de Magazine"; Ricardo Pais colocou em prática os seus conhecimentos no julgamento das várias prestações dos concorrentes que passaram por esta aposta da SIC.

                            


Quanto a Bárbara Guimarães, e mesmo sabendo que não é das minhas apresentadoras preferidas, adoptou uma postura mais descontraída do que é normal. Surpreendeu-me, tal como havia afirmado noutras alturas. Sem clichés, e sem aquela imagem associada a "tia", a profissional da estação de Carnaxide regressou momentaneamente aos tempos de outrora. O segundo passo para voltar ao estrelato passa assim pelo futuro, pelos novos desafios profissionais. "Portugal Tem Talento" foi uma prova superada, resta saber se o próximo projecto seguirá o mesmo caminho.


Quanto à produção, é de salientar que esteve impecável, e que poucas foram as falhas que detectei no programa. 

À excepção de uma ou outra gaffe, foi possível visualizar um programa de qualidade, familiar, que demonstra e premeia o talento em português.

Depois das cantorias, danças ou discussões na vida real, o terceiro canal decidiu apostar em outras artes, como a poesia, a ginástica e até a autênticos exemplo de vida. Aliás, é assim relevante referir que o próprio grupo de finalistas foi muito especial. Cada um dos concorrentes teve uma característica própria, o que o tornou muito importante para "Portugal Tem Talento". 
Se o concurso ganhou renome, foi também pela selecção dos jurados do mesmo. A SIC beneficiou deste talent-show, Bárbara Guimarães viu novamente as luzes da ribalta caírem sobre si e, já agora, Portugal viu que ainda existem muitos talentos para mostrar.



Esta noite, apenas desejo uma coisa: que vença o melhor!

2 comentários:

João Rodrigo disse...

Concordo plenamente com o post!!

Luis fernandes disse...

Eu tambem concordo.
O programa serviu de apoio para a Conceicao Lino que graças a este, conseguiu dar um ar mais descontraido ao seu Talk - show. Deve ter aprendido com a Barbara.

O facto dos ultimos resultados de PTT e que as galas começaram a ser repetitivas e ser ''secantes'', sem um grande pingo de emoçao. Dou 4 em 5 ao programa